Home » Campanha Despejo Zero » Despejos Zero Vale do Narmada » Vale do Narmada, Parem de afogar mais de 200.000 fazendeiros, pescadores e famílias indígenas sem reabilitação, salvem o rio Narmada do desenvolvimento destrutivo!

Vale do Narmada, Parem de afogar mais de 200.000 fazendeiros, pescadores e famílias indígenas sem reabilitação, salvem o rio Narmada do desenvolvimento destrutivo!

Endereçado

às autoridades competentes,

ao Governo da Índia,

ao Governo de Madhya Pradesh,

à Autoridade de Controle do Narmada

Data: 31-07-2017

ASSUNTO: PAREM DE AFOGAR MAIS DE 40.000 FAZENDEIROS, PESCADORES E FAMÍLIAS INDÍGENAS SEM REABILITAÇÃO , SALVEM O RIO NARMADA DO DESENVOLVIMENTO DESTRUTIVO

A situação atual do rio Narmada, um dos maiores da Índia, é desanimadora sob todos os aspectos. Medha Patkar, uma ambientalista aclamada internacionalmente, ativista social e membro da Comissão Internacional de Barragens, juntamente com outras 12 mulheres afetadas pelo projeto, está em seu 4º dia de uma greve de fome por tempo indeterminado, em resposta à decisão autoritária do Primeiro Ministro indiano Narendra Modi de aumentar o nível da represa Sardar Sarovar e fechar suas comportas sem assegurar a reabilitação de 200.000 pessoas que moram nas áreas que serão submergidas devido a essa decisão.

O governo central, em parceria com o governo estadual de Madhya Pradesh (ambos regidos pela maioria esmagadora do partido político Bhartiya Janta), está ocupado em tentar distorcer os fatos e números, em vez de assegurar a reabilitação digna dos lares e empregos de comunidades agrárias e florestais indígenas cujas aldeias e cidades serão submersas devido a este projeto devastador do ponto de vista ecológico. Desfrutando de sua maioria eleitoral, o partido no poder calou todas as vozes da oposição por meio da repressão policial bruta durante o protesto calmo e pacífico. A democracia parlamentar na Índia está enfrentando seu pior momento, já que o diálogo e o debate sobre o assunto no Conselho dos Estados da Índia e na Assembleia Legislativa do Estado de Madhya Pradesh simplesmente não foram permitidos e os líderes da oposição foram detidos em seguida.

Na frente ambiental, uma chuva forte durante a atual monção causou alagamentos devastadores até mesmo no estado de Gujarat (estado beneficiário do projeto da represa Sardar Sarovar). Os avisos dos ambientalistas são ignorados e as massas populares do país estão sendo enganadas para cultuar o rio com a invocação de sua espiritualidade, enquanto as represas, os projetos de interligação do rio, a extração de areia, o despejo de lixo industrial e esgoto urbano estão matando o que ainda resta do rio. As águas do rio são desviadas para projetos corporativos (como a Coca-Cola), enquanto fazendeiros na Índia estão cometendo suicídio devido à falta do apoio governamental à agricultura.

Os 32 anos da corajosa resistência do movimento Narmada Bachao Andolan tem abalado o discurso de desenvolvimento em todo o mundo e forçou grandes corporações, como o Banco Mundial, a retirarem seus investimentos de projetos destrutivos ao meio ambiente e que violam os direitos humanos, como a represa Sardar Sarovar, e instituírem o mecanismo do Painel de Inspeção.

As vidas de 40.000 famílias estão em jogo, incluindo a vida de uma das líderes mais amadas pelo povo. Nós convocamos o Governo da Índia, o Primeiro Ministro da Índia, o Ministro-chefe de Madhya Pradesh e o Tribunal Supremo da Índia a parar o despejo forçado e a submersão injusta, assegurar a reabilitação total de acordo com a lei e iniciar o diálogo com as pessoas depostas e o movimento Narmada Bachao Andolan.

Em solidariedade ao movimento Narmada Bachao Andolan

Assinaturas (206)

  • Orlando Rodríguez, A.C. Siembra - Spain
  • LEONARDO BELLINI, - Italy
  • Maria Inés Garcia-Reyes, AGRA Arquitectos - Colombia
  • FRANCISCO ACEVES, IPN - Mexico
  • Giovanni Maccione, - Italy
  • Zeballos Lidia, Réseau Citoyen - France
  • Stephen David, - United States
  • Jeeva Rajgopaul, - South Africa
  • Mariann Dósa, School of Public Life - Hungary
  • Jouffe Yves, - France
  • Matteo Lenzi, - Italy
  • Roberto Eibenschutz, Universidad Autónoma Metropolitana, México - Mexico
  • Gloria Naranjo, Universidad de Antioquia - Colombia
  • CARLOS ARTURO CADAVID, JUNTA CIVICA PARAJE EL PINAR (FUENTE CLARA-ROBLEDO) - Colombia
  • Emilio Reza-Araujo, Conciencia Libertaria - Mexico
  • PIERRE LOUIS Janine, - Burkina Faso
  • Bolssens Baudouin, Front commun SDF Belgique ASBL et Rom en Rom ASBL - Belgium
  • Luana Barigazzi, - Italy
  • Wannesson Philippe, - France
  • CORMIER Louise, London School of Economcics - France
  • Vacheron Gala, - Estonia
  • Antonio Grasso, - Italy
  • Maurizio Sgarro, - Italy
  • patricia sanchez, Monte Sinai Guayaquil - Ecuador
  • matteo viola, - Brazil
  • Alcira del Valle Romero Romero, QOCHA PACHA (mar y tierra) - Argentina
  • Michele Citoni, documentarista - Italy
  • Freitas Urânia, Forum da População de rua - Brazil
  • Francesca Lulli , Centro Studi Femminista per l'Economia del Dono - Italy
  • Anand Teltumbde, IIT Kharagpur - India
  • guguenheim pierre, - France
  • Associazione Monastero del Bene Comune, - Italy
  • Massimo Pasquini, Unione Inquilini - Italy
  • Patrizia Reso, Acqua pubblica - Italy
  • Rosita Gigantino, Sinistra Italiana - Italy
  • Clara Budetta , - Italy
  • onofrio infantile, comitato acqua pubblica di Salerno - Italy
  • Maria Vitacca, associazione articolo9 - Italy
  • Marco Iob, CeVI - Italy
  • Tommasina Bianca Squadrito, - Italy
  • SOS MISSIONARIO, SOS MISSIONARIO - Italy
  • Francesco Nannetti, - Italy
  • Vladislav Bugera, Ufa State Petroleum Technological University - Russian Federation
  • rotraud wittig, - Italy
  • Walburga Rungger , - Italy
  • Magali Fricaudet, - Spain
  • David Carbonell del Peso, - Spain
  • Andrea Pozzobon, - Italy
  • Ingrid Schein, Frau - Austria
  • GIGLEUX Françoise, Association "L'EAU EST LE PONT" - France