Home » News » Habitantes das Áfricas

Mostra/Nascondi il menu

Habitantes das Áfricas

RSS

Appello alla solidarietà internazionale STOP ALL'INDUSTRIA DI MORTE A GABES!

L’Associazione Tunisina degli Abitanti per l'Alloggio Dignitoso e l'Alleanza Internazionale degli Abitanti sono solidali con il Movimento STOP POLLUTION GABES. La lotta all'inquinamento e l'applicazione dell'articolo 45 della Costituzione devono essere una priorità in Tunisia e al centro della solidarietà degli abitanti del Mediterraneo.

CHAMADA: PRIMEIRO FORO DOS HABITANTES DO MEDITERRÂNEO PARA A CRIAÇÃO DA REDE MEDITERRÂNEA DE HABITANTES

Sabine Réthoré, Dessins. Cartographie contemporaine (http://www.sabine-rethore.net) Venham todas e todos a Marselha, Francia,  de 21 a 23 de junho de 2019! Nós somos mais de 500 milhões habitando 22 países na costa do nosso mar, o Mediterrâneo. Nesse espaço comum, que devemos compartilhar, seria muito bom viver em paz, circular livremente, respeitando o meio ambiente e os direitos humanos de todas e de todos.

Appel des associations et collectifs à des Etats généraux de Marseille: Vivante, Populaire et Accueillante

Un appel pour des Etats Généraux de Marseille a été diffusé lors de la commémoration des effondrements des deux immeuble en rue d’Aubagne , où huit personnes sont mortes au mois de novembre 2018.

Participação de resistência: renegociando a melhoria das favelas por meio da resistência

Resumo A melhoria de favelas é uma política que tem sido promovida em todo o sul global com poucas interferências. Muito do “sucesso” por trás da melhoria das favelas é que elas foram realizadas de maneira participativa. Na contramão do que muitas instituições acreditam, a academia demonstrou como a política participativa serve, muitas vezes, para encerrar o debate e reduzir responsabilidades quanto à implementação de projetos de infraestrutura de grande escala. No caso de Nairobi, muitos grupos de ação participativa são cooptados pelas “elites” locais.

Rabat, Migrantes e Direito à moradia na Jornada Internacional dos Migrantes

No âmbito da Jornada Internacional dos Migrantes, a Rede Marroquina pela Moradia Decente, membro ativo da Aliança Internacional dos Habitantes (AIH) e membro Fundador da Coalizão Marroquina da Justiça Climática, organiza « Migrantes e Direito à moradia», no sábado 22 de dezembro de 2018, na sede da Associação para questões sociais das mulheres e homens profissionais do ensino em Rabat.

O Programa dos Habitantes na Africities 2018

Organizado pela UCLG-A em Marraquexe, Marrocos de 20 à 24 de novembro de 2018, Africities VIII é o encontro continental mais importante para governantes locais. A AIH participará para fortalecer a voz dos habitantes neste diálogo, para a organização de 23/11 o encontro “ Perto da construção da  Rede Mediterrânea dos Habitantes” para responder as solicitações de liberdade de residir e circulação dos habitantes deste mar comum.

Rumo a construção de uma Rede Mediterrânea dos Habitantes

Este encontro, organizado pela AIH, visa estabelecer uma rede internacional de organizações de habitantes em todos os países que fazem fronteira com o mar Mediterrâneo, residentes e migrantes, em parceria com as autoridades locais que compartilham a abordagem dos direitos humanos na implementação das políticas de habitação, urbanismo e governação democrática.

Evictions and citizenship in Casablanca

On the last week of September, a wave of evictions fell on the industrial neighborhood of Ain Sbaa, Northern periphery of Casablanca, Morocco. A huge police operation cleared more than 1,300 self-built houses in the beighborhood of Douar Wasti , settled in the area since the Thirties. Around 5,000 residents had been negotiating with the City Council for six months, and didn’t expect to be chased off their houses with snipers pointing at them from the buildings around, and with nothing more than the promise of obtaining, some day, plots of land 30kms far, in the rural area of Hay Hajjaj .

Desalojos en Casablanca: solidaridad y propuestas de la RMLD

La Red Marroquí para la Vivienda Digna (RMLD) en Casablanca/Settat denuncia las violaciones de los derechos humanos reconocidos por parte de Marruecos, que se encuentran en los desalojos de los habitantes de Casablanca como parte del programa “ciudades sin tugurios”. Una tragedia anteriormente sufrida por cientos de miles de habitantes de otras ciudades y países vecinos del Mediterráneo. La Alianza Internacional de los Habitantes ha compartido solidaridad y propuestas para solucionar el problema.

Douar Wasti, Casablanca: demolitions and massive evictions

Vista dall'alto delle macerie del quartiere Douar Wasti, demolito in un fine settimana dal governo marocchino On Friday 21 September, 2018, a contingent  of about 2,000 police, military and other forces of order erupted in the Douar Wasti district, at the centre of the Ain Sbaa coastal industrial area of Casablanca, to evict the entire district  within a few hours. Over 1,300 habitations were demolished by bulldozers, and the inhabitants, more than five thousand, including a large number of children, were very quickly forced to collect their belongings, and put them together by the roadside.