Home » News » Newsletter » Não se cale: comunique seu caso de despejo!

Mostra/Nascondi il menu

News


Não se cale: comunique seu caso de despejo!

Português

A settembre a Venezia! Capitale mondiale dei resistenti agli sfratti causati dal turismo

Non restate in silenzio : abitanti di tutto il mondo, denunciate il vostro caso di sfratto causato dal turismo ! Questo appello all’unisono è stato diffuso durante la Conferenza stampa di lancio della sesta Sessione del Tribunale Internazionale degli Sfratti (ITE), che si terrà a Venezia all’apertura delle Giornate Mondiali Sfratti Zero e nel quadro dell’”Anno Internazionale del Turismo sostenibile per lo sviluppo”.

» A settembre a Venezia! Capitale mondiale dei resistenti agli sfratti causati dal turismo

O que é o Tribunal Internacional de Despejos

O Tribunal Internacional de Despejos (ITE sua sigla em inglês) é um tribunal popular e de opinião criado em 2011, pela Aliança Internacional de Habitantes e organizações da sociedade civil para os Dias Mundiais Despejos Zero para barrar de forma prática e interativa, despejos forçados em todo o mundo. O Tribunal baseia-se na expertise de um Júri de indivíduos competentes e reconhecidos, assim como no Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (ICESCR sua sigla em inglês) e outros instrumentos de direito internacional, para julgar casos reais de despejos forçado que constituem violação de direitos humanos.

» O que é o Tribunal Internacional de Despejos

Chamado internacional para casos de despejo

Não se cale: comunique seu caso de despejo! O prazo final é 15 de julho de 2017!

Tribunal Internacional de Despejos

Sessão sobre Turismo (Veneza, 28-30 de setembro 2017)

» Chamado internacional para casos de despejo

Por que uma sessão do ITE sobre turismo? As crescentes violações a direitos humanos pelo turismo excessivo

Apesar dos problemas ligados à crise global, às guerras e ao terrorismo, o turismo subiu para 1.235 bilhões de pessoas viajantes em 2016, aumentando sua pressão principalmente na América do Sul, África e Ásia, tudo sem diminuir sua força na Europa e na América do Norte. Porém, o desenvolvimento  do turismo, em suas diversas formas, é uma causa crescente de despejos forçados, porque, sob o pretexto de popularizar os intercâmbios e o gozo do mundo, o turismo está transformando cidades e territórios em bens , e seus habitantes em extras.

» Por que uma sessão do ITE sobre turismo? As crescentes violações a direitos humanos pelo turismo excessivo

Duas boas razões para escolher Veneza

Existem pelo menos duas boas razões para escolher Veneza como o local da sessão do ITE sobre turismo.

Primeiramente, Veneza é um dos exemplos mais tristes da pressão causada pelo turismo: esta cidade única sujeita a políticas que priorizam a indústria do turismo, tem experimentado deslocamentos em massa - despejos efetivos através de métodos econômicos - e viu sua população reduzida para menos de 54.000 em 2017 em comparação com 175.000 em 1953. Enquanto isso, Veneza está passando por uma crescente pressão no turismo com 9 milhões de noites de turistas e 24 milhões de turistas passageiros no ano passado.

» Duas boas razões para escolher Veneza

Programa do Tribunal Internacional dos Despejos

O programa (ainda em andamento) inclui diversas ações (sessões, visitas de campo, atividades culturais, debates).

» Programa do Tribunal Internacional dos Despejos

Sign the the Berlin Declaration for "Transforming Tourism"!

Transforming our world is not possible without transforming tourism. We want not only to encourage further reflection and debate, but demand concrete activities. So far, over 200 individuals and more than 35 organisations have endorsed the Declaration. Join them and endorse it: as an individual, please click here , as an organisation, please write an email to tourism-watch@brot-fuer-die-welt.de

For more information please visit www.transforming-tourism.org

» Sign the the Berlin Declaration for "Transforming Tourism"!

A Aliança Internacional de Habitantes é uma rede global de associações e movimentos sociais de habitantes, cooperativas, comunidades, inquilinos, sem-teto, moradores de favelas, populações nativas e pessoas de bairros proletários. O objetivo é a construção de um outro mundo possível começando por assegurar os direitos à moradia e à cidade.